domingo, 6 de outubro de 2013

Itapetininga reduz tarifa de ônibus para concorrer com táxi

06/10/2013 - Jornal Cruzeiro do Sul - Sorocaba

Um motivo incomum levou a prefeitura de Itapetininga a propor uma redução na tarifa de ônibus, do valor atual de R$ 1,75 para R$ 1,00: a concorrência do táxi. O serviço de táxi da cidade cobra tarifa única de R$ 1,80, considerada a mais baixa do Brasil. O serviço é prestado por rotas e cada táxi pode levar até quatro passageiros, mas o usuário pode ir do centro ao ponto extremo da cidade pagando a tarifa única. O número de usuários do serviço chega a 10 mil pessoas por dia e está próximo do total de passageiros transportados pelos ônibus, de 15 mil pessoas ao dia.

A cidade, de 145.798 habitantes tem também um serviço de mototáxi com tarifa de R$ 1,50. Diante de tanta concorrência, a prefeitura enfrenta dificuldade para atrair empresas de ônibus interessadas em prestar o serviço de transporte na cidade. O projeto, enviado à Câmara, deve ser votado no dia 5. O prefeito Luís Antonio Di Fiori Costa (PSDB) disse que, além de beneficiar o usuário, a tarifa mais baixa deve atrair indústrias. Segundo ele, para atrair o interesse das empresas, a prefeitura vai subsidiar o transporte. Uma nova empresa deve começar a operar na cidade, com 40 ônibus novos.

O município também vai ganhar um terminal de integração na região central, permitindo que o passageiro se desloque a qualquer parte da cidade usando o mesmo bilhete. Com isso, a prefeitura espera tornar o ônibus mais competitivo. O prefeito alega que o comércio será beneficiado, já que o ônibus barato e o sistema de integração devem trazer mais consumidores para a região central, onde fica a principal zona comercial. O valor do subsídio pode chegar a R$ 225 mil por mês. O táxi rotativo foi criado por lei e os 260 motoristas cadastrados recebem treinamento. 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Táxi pode sair mais barato que carro próprio

30/09/2013 - Folha de SP

SAMY DANA

O trânsito Brasil afora está cada vez pior. São Paulo, em especial, vem batendo recordes de congestionamento.

Algumas medidas vêm sendo tomadas para agilizar o transporte público, como a criação de novas vias exclusivas para ônibus.

Contudo, o problema principal persiste: ainda há preferência pelo uso do carro, mesmo que haja outros meios mais eficazes e mais baratos.

Os principais argumentos para justificar o uso de veículos pessoais estão relacionados ao conforto, ao tempo de viagem e ao custo dos táxis.

A análise em relação a ônibus e metrôs é bastante simples: o conforto é, de fato, superior nos carros; já os custos e tempo de viagem podem até ser inferiores, com as novas faixas especiais.

O caso mais interessante é o do táxi, tido como mais caro, mas que, dependendo da distância percorrida, pode representar economia, mantendo o nível de conforto e reduzindo o tempo de viagem, graças à possibilidade de trafegar por faixas exclusivas ao transporte público.

Uma simulação considerando todas as despesas anuais com um carro de R$ 40.000, incluindo depreciação de 15% ao ano, e os custos em valores reais de utilizar táxi para efetuar duas viagens diárias de 10 quilômetros mostra que o custo anual do carro fica em R$ 54.924,52, enquanto que o do táxi fica em R$ 26.838,22, uma diferença de R$ 28.000.

O carro é não somente mais caro, como também envolve o risco de roubo, e gastos com combustível e estacionamentos. O conforto pode ser grande, mas há de se pensar melhor se um bem tão cheio de problemas vale tanto a pena.

SAMY DANA é Ph.D em business, professor da FGV e coordenador do núcleo GV Cult

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Táxi pode sair mais barato que carro próprio

30/09/2013 - Folha de SP

SAMY DANA

O trânsito Brasil afora está cada vez pior. São Paulo, em especial, vem batendo recordes de congestionamento.

Algumas medidas vêm sendo tomadas para agilizar o transporte público, como a criação de novas vias exclusivas para ônibus.

Contudo, o problema principal persiste: ainda há preferência pelo uso do carro, mesmo que haja outros meios mais eficazes e mais baratos.

Os principais argumentos para justificar o uso de veículos pessoais estão relacionados ao conforto, ao tempo de viagem e ao custo dos táxis.

A análise em relação a ônibus e metrôs é bastante simples: o conforto é, de fato, superior nos carros; já os custos e tempo de viagem podem até ser inferiores, com as novas faixas especiais.

O caso mais interessante é o do táxi, tido como mais caro, mas que, dependendo da distância percorrida, pode representar economia, mantendo o nível de conforto e reduzindo o tempo de viagem, graças à possibilidade de trafegar por faixas exclusivas ao transporte público.

Uma simulação considerando todas as despesas anuais com um carro de R$ 40.000, incluindo depreciação de 15% ao ano, e os custos em valores reais de utilizar táxi para efetuar duas viagens diárias de 10 quilômetros mostra que o custo anual do carro fica em R$ 54.924,52, enquanto que o do táxi fica em R$ 26.838,22, uma diferença de R$ 28.000.

O carro é não somente mais caro, como também envolve o risco de roubo, e gastos com combustível e estacionamentos. O conforto pode ser grande, mas há de se pensar melhor se um bem tão cheio de problemas vale tanto a pena.

SAMY DANA é Ph.D em business, professor da FGV e coordenador do núcleo GV Cult

sábado, 18 de maio de 2013

Táxi com tablet e internet sem fio grátis chega a SP


18/05/2013 - Folha de SP

A Prefeitura de São Paulo apresentou ontem os dez primeiros táxis da cidade que terão tablet e wi-fi grátis à disposição dos passageiros.

O objetivo é ampliar o número para 500 nos próximos dois meses e chegar a 3.500 até a Copa de 2014. A frota de táxis da cidade é de 33,5 mil.

Os aparelhos fazem parte de um projeto do Ministério do Esporte, que credenciou a empresa Comtecno para fornecer os aparelhos.

Segundo João Carlos Passos, diretor da empresa, não há dinheiro público envolvido. Taxistas e passageiros também não pagam. A verba vem de patrocinadores.

Ele afirma que o investimento na instalação dos tablets é de R$ 300 por táxi, mais R$ 280 por mês para pagar a conexão 3G.

Os primeiros tablets são do modelo Samsung Galaxy. Eles foram instalados dentro de um gabinete metálico preso ao táxi e contam com aplicativos como o da SPTuris (empresa de turismo da prefeitura), Waze, Google Tradutor e UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

"Um chinês que chegar ao aeroporto e não souber uma palavra de português, vai poder digitar no tradutor e se comunicar", afirmou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

O passageiro também pode usar uma conexão wi-fi de 15 minutos, que pode ser renovada livremente, para usar a internet no seu própio celular ou tablet.

Na apresentação, o secretário disse que poderá usar os aparelhos de GPS instalados na frota de táxis para monitorar o trânsito.

Segundo Tatto, a ideia é usar os dados para medir a velocidade média nas vias.

Capital deve ter 'poupatempo' para taxistas e motoboys

DE SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo planeja criar uma espécie de "poupatempo" para agilizar os procedimentos burocráticos exigidos na regularização de taxistas e motoboys.

A ideia é reunir diversos órgãos em um só local para acabar com a necessidade de profissionais do transporte fazerem vários deslocamentos para apresentarem os documentos necessários.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Prefeitura de SP começa a testar tablets e Wi-Fi em táxis


17/05/2013 -O Estado de SP

A Prefeitura começa a testar amanhã o serviço de internet Wi-Fi e tablets na frota de táxi da cidade. O projeto inicial terá dez veículos. A rede Wi-Fi ficará disponível aos passageiros, mas detalhes como se a melhoria implicará tarifas extras para os passageiros só serão divulgados em evento marcado para a manhã de hoje no Departamento de Transportes Públicos (DTP), que fiscaliza os táxis, no Pari, região central da cidade.

A Secretaria Municipal de Transportes já havia divulgado, no começo da semana, intenção de contratar uma empresa para fornecer rede Wi-Fi dentro dos 15 mil veículos que compõem a frota de ônibus da capital. O prazo seria até a metade do ano que vem, na Copa do Mundo. Proposta parecida também foi apresentada pela gestão Fernando Haddad (PT) para parques.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Rio suspende serviço de táxi especial no Cais do Porto

14/12/2012 - Agência Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Transportes, realizou na manhã desta sexta-feira (14) operação Taxi Legal no Cais do Porto, para identificação de irregularidades. Na operação, que vistoriou táxis comuns, especiais e vans de fretamento, o secretario municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, determinou a suspensão dos serviços de taxi especial no porto e o fechamento do balcão de atendimento das cooperativas cadastradas.

Entre as irregularidades identificadas estão cobrança de tarifa por hora, por roteiros turísticos, adulteração no preço de corridas e falta de dispositivo com a exposição da tabela de preço no balcão de vendas.

As cooperativas sancionadas (Coopertramo, Transcoopass, Coopatur e Cotramo) receberam notificação para comparecerem na tarde desta sexta-feira, na sede da SMTR para cumprimento de exigências e abertura de processo administrativo. O serviço de táxi especial no porto só será retomado após cumprimento das exigências estabelecidas pela fiscalização.

Durante a operação, liderada por fiscais da SMTR com apoio de policiais militares, agentes da Guarda Municipal e da CET- Rio, 21 veículos foram vistoriados, quatro lacrados e dois removidos. Ao todo, 50 homens participaram da operação, que será feita regularmente nos principais portões de entrada da cidade (aeroportos, rodoviária Novo Rio e Cais do Porto) durante a alta temporada.

"A operação de fiscalização dos serviços de táxis nos principais portões de entrada da cidade visa garantir um bom atendimento ao turista que chega ao Rio. Vamos beneficiar os bons taxistas, verdadeiros embaixadores da cidade, e coibir práticas ilegais e abusivas", disse o secretário de Transportes Carlos Roberto Osório.

MS

Táxis elétricos começam a circular no Rio de Janeiro

08/03/2013 - Agência Brasil

Começaram a circular nesta semana os dois primeiros táxis elétricos do Rio de Janeiro

O projeto, uma parceria da prefeitura e a montadora Nissan, deverá levar 15 táxis desse tipo às ruas da cidade até o fim do ano. A partir de 2014, a ideia é expandir o serviço. Os carros não emitem poluentes nem ruídos.

Os veículos foram entregues pelo prefeito Eduardo Paes aos taxistas Breno de Souza Olveira, 47 anos, e Arthur Marfir, 51 anos, que integram uma cooperativa que atua no aeroporto Santos Dumont. Os motoristas não terão que arcar com os custos de abastecimento nem repassar um percentual da corrida à montadora Nissan, fabricante dos carros.

Os táxis ficarão emprestados por cerca de três anos. Todos os dias, os dois motoristas deverão buscá-los em um prédio da prefeitura, em Botafogo, e levá-los ao aeroporto. Com carga que possibilita rodar até 160 quilômetros sem abastecer, os taxistas poderão recarregar em postos da Petrobras na Barra da Tijuca e na Lagoa. Para receberem os veículos, os profissionais passaram por treinamento de dois meses.

O prefeito destacou o caráter experimental da iniciativa: "É uma fase experimental mesmo. O ideal é que a gente consiga desenvolver subsídios para que as pessoas possam adquirir esse tipo de carro. São experiências que vão criando uma cultura".

O secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, explicou que os dois taxistas foram escolhidos por terem experiência e boa conduta no trânsito. "Eles têm muitos anos de carreira, não têm multas nem infrações como taxistas no Rio. São comunicativos e têm noção de língua estrangeira. São motoristas referência e vão servir de espelho e exemplo para a categoria".

Para Osório, a iniciativa desmistifica o transporte movido a eletricidade. "Quanto mais energia limpa estiver circulando na praça do Rio de Janeiro, é melhor. Com isso, a gente qualifica o serviço de táxi agregando o componente da sustentabilidade. É uma possibilidade de o carioca ver nas ruas que esse negócio de energia elétrica movendo automóvel não é ficção científica, é realidade. E acho que o táxi vai fazer essa apresentação".

Além de investir na modernização dos veículos, o secretário informou que, este ano, será revista a regulamentação dos táxis da cidade, que é a mesma desde 1970. Um dos principais pontos da nova legislação será padronizar a frota, reduzindo as disparidades entre carros populares de baixa potência e carros de luxo, que prestam o mesmo serviço. Osório garantiu, no entanto, que a ideia não é onerar o passageiro com taxas diferenciadas.